segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Já aí mais um ano

Termina um ano que não deixa saudades à grande maioria, começa outro em que as incertezas são maiores que a vontade de cada um em ultrapassar uma situação que não criámos. Espera-se um redobrar de iniciativa para lutar contra uma política que está a causar imensos danos ao País. 

domingo, 30 de dezembro de 2012

Iturbe a caminho do River

Iturbe foi disputado pelo Benfica e pelo Porto e na altura era considerado o novo Messi argentino. Ainda não se afirmou e vai agora para o River Plate. Há muitos empresários que ganham dinheiro com a luta dos portistas contra o Benfica.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Poemas de Natal III

Natal

A velha imagem: um deus à minha espera,
nu e pobre.
Com a firmeza artesanal da hera,
presa ao muro que cobre.

Mas uma pedra humaníssima destrói
a estrutura vegetal do pólipo gigante:
bichinho que rói, rói,
e segue adiante.

Entanto, permanece
o mistério velado.
E uma rosa amanhece
neste Maio adiado.

Daniel Filipe, in «Natal... Natais Oito séculos de poesia sobre o Natal» antologia de Vaco Graça Moura, Millennium/Público

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Pagamento dos subsídios em duodécimos

Se é que fosse necessário provar alguma coisa, a votação do PS com a maioria governamental em certas  questões demonstra claramente que a alternativa política em Portugal não passa por ali.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

As mensagens de Passos

Se não ocupassem o cargo de primeiro-ministro, o que é comprovadamente um drama, diria que estávamos simplesmente na presença de um tótó.

Kabul, Afeganistão

O blog a barriga de um arquitecto tem a chamada de atenção e é importante percorrer a reportagem apresentada sobre a cidade de Kabul, no Afeganistão. As imagens traduzem bem a realidade daquela cidade e daquela comunidade. É possível verificar/confirmar que a capacidade de adaptação, poderia dizer-se mesmo criatividade, do ser humano às necessidades impostas são inesgotáveis, a par de uma grande resistência ao sofrimento e à miséria. 

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Portugal assim mesmo

O Natal passou. Amanhã voltamos à rotina normal, com a perspectiva de nuvens negras no horizonte para 2013. Continuará a haver prendas para alguns, como revelou a recente reportagem da SIC sobre os indígenas sociais democratas (quase todos) beneficiados com os desvarios de Oliveira e Costa no BPN que todos nós estamos a pagar agora a decisão de Sócrates e Teixeira dos Santos a transformou em dívida pública. O assunto, talvez pela época, não tem merecido muito interesse por parte da comunicação social. Fico com a sensação que, quando se perspectiva alguma posição sobre as medidas governativas por parte de Paulo Portas ou Cavaco Silva, aparecem à tona um submarino e pormenores sobre o BPN, como é o caso em que estão amigos pessoais do Presidente da República de quem também se disse ter sido beneficiado. Portugal é assim. E estamos no Natal.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Sem olhar para os portugueses

Enquanto para Espanha, um governo conservador, e para França, um socialista, a Comissão Europeia estica os prazos de cumprimento do défice, porque os respectivos governos estão preocupados com os impactos sociais da medidas de austeridade, em Portugal, o governo de Passos e Cavaco continuam a apostar nas mesmas medidas sem qualquer respeito pelo drama em que colocam os portugueses. Se tivéssemos uma Presidente da República já não teríamos este governo. Onde nos levará tamanha cegueira e incompetência.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Coisas simples dos dias que passam

O mundo não acabou na sexta-feira, o natal está quase e os dias começaram a crescer em luz, a noite até Junho será a cada dia mais pequena. Espero aquelas tardes quentes. 

Fernando Lopes Graça - Acordai (interpretação por Lisboa Cantat)

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Sinais dos tempos

Passos Coelho precisa de maior número de seguranças em Portugal do que na Turquia, um país onde de tempos a tempos os atentados existem e tem três frentes de guerra, externa com Chipre e Síria, e interna com o povo curdo.

Eu também, Joaquín Sabina


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Poemas de Natal II

Vem aí o Natal
Mourenses ao Café Portugal
 
Como a paz já anda perto
Pois as águias do deserto
O céu do mundo dominam.
Que esse dia esteja certo
Eis o que todos aspiram.
 
Que o velho Papá-Natal
No sapato nos pusesse
Essa oferta divinal.
E que enfim ao mundo desse
Uma paz justa, imortal.
 
Enquanto não chega o dia
Mais uma vez anuncia
O Zé Manta a toda a gente,
Quem quiser ter alegria
O meu «Café» frequente.
 
Vinhos, licores, tudo o mais,
Bom café, boa cerveja,
Aquilo que desejais
(Só o que é bom se deseja)
No «Portugal» encontrais.
 
Desde o bom queijo do Paço
Ao melhor vinho do Porto
Ao freguês não armo o «laço»,
Trato-o bem, dou-lhe conforto,
Eis apenas o que faço.
 
Posso dizer afinal,
Sem temer contradições
Que no «Caf«e Portugal»!
Vai haver pelo Natal
A maior das reinações.
 
Joaquim Costa, edição da Biblioteca Municipal de Moura

domingo, 16 de dezembro de 2012

sábado, 15 de dezembro de 2012

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Portas no seu melhor

Quando se pensava que a hipocrisia tinha atingido os seus limites, eis que Paulo Portas regressa ao seu melhor estilo. O Paulinho das feiras está a voltar até que um submarino venha novamente à superfície. 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

PCP apresenta 700 alterações

O grupo parlamentar do PCP apresentou 700 propostas de alterações à chamada lei de extinção das freguesias, as quais, por força da Constituição, terão que ser votadas uma a uma. Desta forma ficará bem claro quais são os deputados do PSD e do CDS que só respondem à voz do dono ou se estão a defender os interesses de quem os elegeu. Desta forma, acaba a demagogia de sociais-democratas e centristas.

Eusébio e o Sporting

Sou benfiquista e a vitória no dérbi com o Sporting deixou-me satisfeito mas estas declarações de Eusébio eram escusadas e são infelizes.

Supervisor único para a banca

Nomeiem o Constâncio que tem larga experiência na matéria.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Poemas de Natal I

S. Mateus, por exemplo

fica tranquila, direi o que quero
daí neste natal, tranquiliza-te,
um saco de plástico purificado
cheio de mar, um copo de vinho,
um cesto de lapas, um pouco
de tabaco, um postal ilustrado

neste natal, direi o que quero
um chá quente em barro da lagoa
um copo de vinho, dois copos de 
vinho de cheiro, umas favas de 
molho, uma vaca a abanar o rabo
em pasto verde, o céu cinzento
38ª de humidade relativa que
me façam vomitar cinco anos de
angústia

fica tranquila, neste natal
vais enviar-nos a ilha ou
S. Mateus, por exemplo

Ivone Chinita

Retirado de Natal... Natais, Oito séculos de Poesia sobre o Natal, antologia de Vasco Graça Moura, 
Público, Millennium bcp

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O humor dos amarelejenses

Perante as interrogações sobre o número de elementos na mesa durante a última ceia, a solução encontrada foi colocar uma legenda. É Branco. Imagem captada na Feira do Vinho e da Vinha, realizada com sucesso no anterior fim-de-semana, em Amareleja.

Demissão em Itália

O Mário vai por-se a Monti.

Novo Centro de Trabalho do PCP em Grândola

Foi ontem inaugurado o novo Centro de Trabalho de Grândola do PCP. Como o mais importante são as pessoas e o trabalho colectivo, ficam duas imagens da preparação e da cerimónia.



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Jesus acredita numa surpresa em Barcelona

Eu também, mas o melhor é o Spartak de Moscovo ganhar ao Celtic em Glasgow.

Muito para lá de um telefonema

Soube ontem que um camarada morreu. Troquei um último abraço na recente Festa do Avante. Há cerca de um mês a participação numa cerimónia oficial impediu-me de atender o telefonema que me fez. Passadas duas horas devolvi a chamada, sem sucesso. Para sempre ficará a dúvida sobre a razão do telefonema. É a vida e a morte a trocar-nos as voltas.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Ratinhos são de interesse público

O Castro dos Ratinhos, no concelho de Moura e a olhar para a barragem de Alqueva, foi classificado como Imóvel de Interesse Público pela Secretaria de Estado da Cultura, como noticia a Rádio Planície.

Porque é Dezembro e não haverá natal

Natal, e não Dezembro

Entremos, apressados, friorentos,
numa gruta, no bojo de um navio, num presépio, num prédio, num presídio,
no prédio que amanhã for demolido ...
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos, e depressa, em qualquer sítio,
porque esta noite chama-se Dezembro,
porque sofremos, porque temos frio.

Entremos, dois a dois: somos duzentos,
duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
a cave, a gruta, o sulco de uma nave ...
Entremos, despojados, mas entremos.
Das mãos dadas talvez o fogo nasça,
talvez seja Natal e não Dezembro,
talvez universal a consoada.

David Mourão-Ferreira

domingo, 2 de dezembro de 2012

O palhaço Passos

Nada como os calores africanos para desmentir aquilo que dias antes Passos Coelho disse na entrevista à TVI. A estratégia de atirar o barro à parede para ver se pega é uma prática política infantil e muito pouco digna de alguém que ocupa o lugar de primeiro-ministro.

O PCP como alternativa

Excelente o discurso de Jerónimo de Sousa no encerramento do XIX Congresso do PCP, afirmando que o partido tem uma política alternativa, está em condições de governar o País, mas não mudará nem enganará quem nele acredita em troca de lugares num executivo para uma política lesiva dos interesses dos portugueses. 

sábado, 1 de dezembro de 2012

Onde anda a ERC?

A chamada televisão pública tem dedicado menos tempo nos espaços informativos ao XIX Congresso do PCP do que aquele que dedicou ao "importantíssimo" congresso do PSD/Madeira. Falo só desta, porque defendo que as televisões privadas têm o direito de preferência, enquanto nos órgãos pagos por todos nós deveria imperar a imparcialidade. No jornal das 12 da RTPinformação o julgamento de Renato Seabra teve mais destaque.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Sporting vai receber da UEFA

Este pagamento vem mesmo a tempo do jogo com o Benfica.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O OE de 2013 para o Tribunal Constitucional

O PS e António José Seguro, ao afirmarem que a contestação ao Orçamento de Estado para 2013 se fará no plano político e recusando participarem no seu envio para o Tribunal Constitucional, estão só a confirmar que não constituem alternativa às actuais políticas seguidas pelo PSD e CDS, ao abrigo de um memorando que os socialistas também subscreveram. Um governo do PS não teria grandes diferenças para além da retórica. 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Há quem não pague IMI?

São necessários esclarecimentos públicos sobre esta situação relatada pelo Correio da Manhã.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Figo não quer ser treinador ...

... e muitos menos do Sporting. O pesetero e socrático Luís Figo é a prova provada que o amor à camisola é directamente proporcional aos êxitos e à entrada na carteira.

domingo, 25 de novembro de 2012

Montarias na Contenda

As duas montarias da Herdade da Contenda já realizadas, a 10 e 24 de Novembro, têm sido um sucesso, tanto ao nível da participação como dos resultados, e esperando-se o mesmo para a última deste ano, agendada para 8 de Dezembro. Organizadas pela empresa municipal, são um exemplo notável da capacidade de todos os seus trabalhadores, da colaboração de trabalhadores da Câmara Municipal de Moura e das Juntas de Freguesia de Santo Aleixo da Restauração e de São João Baptista, estas últimas particularmente importantes quando se fala na sua extinção. Recorro a uma imagem do almoço para não ferir espíritos mais sensíveis.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Carlos Xistra no Braga Porto

O Porto já ganhou. Vai uma aposta?

Os custos do Estado Social

À boleia do Cinco Dias e da Raquel Varela deixo este texto que é bem elucidativo da falta de debate na comunicação social, onde impera a doutrina da solução única.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Aeroporto de Beja recebe aviões em fim de vida

Sempre aterram alguns, muito embora depois não levantem voo. O desenvolvimento será pelo tratamento do lixo.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Um tempo distante tão próximo

O Movimento Nacional dos Empresários organizou hoje o "Dia sem Restauração", propondo o fecho dos estabelecimentos para protestarem contra a taxa de IVA que é praticada. O imposto é um problema, não tenho dúvidas, mas a dificuldade maior é a falta de poder de compra dos que ainda trabalham e o elevado número de desempregados. O Orçamento de Estado para 2013 vai concluir este processo, retirando mais dinheiro às famílias e logo clientes aos restaurantes e outros sectores do comércio que assim caminham para o encerramento. Não por acaso, parece-me estarmos a caminho de há pouco mais de três décadas quando, em Moura, existiam meia dúzia de restaurantes (O Ideal, o Cantinho, o Peninsular, O Manuel da Sobreira, o Patinho, o Moita, talvez não me falte nenhum?), com a agravante que este retorno significará o desaparecimento de muitas empresas familiares que nos últimos anos aproveitaram a qualidade de vida alcançada pelos cidadãos após a Revolução de Abril (é bom não esquecer este ponto de partida, sem o que não chegaríamos aqui). Convém acrescentar que, como o comprova o relatório do OE para 2013, só estamos nesta situação porque três partidos, PS, PSD e CDS, nacionalizaram o BPN e deram cobertura às negociatas do Rendeiro no BPP, aumentando assim a dívida pública.

domingo, 18 de novembro de 2012

Ainda Manuel António Pina

O suplemento Y do Público de sexta-feira publica um caderno de homenagem a Manuel António Pina, cuja leitura recomendo e de onde retiro a passagem seguinte:
"Era um homem de uma cultura imensa, mas de interesses e prazeres variados e sem grande paciência para os meios culturais. Sousa Dias gosta de contar a história da ida ao estádio do Leiria, onde o Sporting de Pina disputava a Supertaça com o FC Porto dos seus amigos. Numa área de serviço a meio caminho, Pina insiste em comprar um boné e um cachecol do Sporting, e já os envergava quando o grupo se cruza com um casal amigo, do Porto, muito frequentador de 'eventos' culturais. Apesar dos preparos de Pina, a senhora pergunta-lhes se 'também vão ver a ópera a Óbidos'. Lá explicam que não. No final do jogo de futebol, quando já ninguém se lembrava do encontro com o casal, Pina sugere a Sousa Dias que lhes telefone: 'Pergunta-lhes como é que ficou a ópera'".

sábado, 17 de novembro de 2012

As propostas de alteração ao OE de 2013

Quem ouve e lê a comunicação social pode ficar com a ideia que só os grupos parlamentares do PSD e do CDS apresentaram propostas de alteração ao desastre anunciado do Orçamento de Estado para 2013. Não é verdade. E aqui ficam as do PCP.

A eventual redução da sobretaxa do IRS

Quando muito o governo vai criar uma sobretaxa de 3,5%, porque actualmente não existe nenhuma. O resto é conversa mole.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A cara do BE

Na próxima sondagem vão ter dificuldade em escolher a cara do líder do Bloco de Esquerda. Contudo, o importante do estudo é a contínua subida dos dois partidos à esquerda.

Imoral diz o PS

Imoral e inconstitucional é retirar aos outros trabalhadores e pensionistas.

Municípios que assinam o PAEL

Com a assinatura, hoje, de contratos de financiamento para pagar dívidas em atraso (os empréstimos tinham por norma suportar investimentos) caem alguns mitos da boa gestão autárquica. É só percorrer a lista. E ler os termos da introdução.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Joaquín Sabina versus Pablo Alboran


 
Anda para aí um delicodoce Pablo Alboran mas eu prefiro a versão mais forte de Joaquín Sabina, como sempre gostei mais dos Rolling Stones do que dos Beatles.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Portugal eliminado pela Itália

A equipa nacional de futsal foi eliminada do Mundial brasileiro pela selecção italiana.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

José Dirceu condenado

Camarada José Dirceu telefona ao Isaltino, ao Valetim Loureiro, ao Dias Loureiro, ao Oliveira e Costa e a outros portugueses que eles sabem como contornar a situação quanto estão a contas com a justiça por esse tipo de crimes. Bom, talvez no Brasil isso já não funcione, porque tem crescido muito nos últimos anos com os mandatos de Lula da Silva e Dilma Rouseff.

Grândola: onde pára o PS?

Não é novidade na gestão da Câmara de Grândola, porque tem acontecido sempre com a gestão do PS, mas não é correcto, no mínimo, utilizar os meios e recursos públicos para responder a comunicados partidários. O serviço público está muito, e deve estar sempre, para lá dos interesses privados.

domingo, 11 de novembro de 2012

Quanto custa a visita de Merkel?

É, efectivamente, estranho que a visita de um político em democracia requeira tanta segurança, como acontece em Portugal, já aconteceu na Grécia e acontecerá em Espanha, se Ângela Merkel tiver coragem de lá ir. E convém perguntar quanto custa ao Estado português as meras cinco horas que a principal dirigente alemã vai passar em Portugal? Havia necessidade?

jardim de inverno, pierre aderne e susana félix

Porque não te calas

De cada vez que Isabel Jonet fala sobre o assunto polémico que constitui o seu pensamento estrutural maior é o problema que cria e a próxima campanha poderá ser um problema. Inovação era na próxima campanha solicitar às grandes superfícies que entregassem bens alimentares ao banco em vez de apelar aos consumidores para a entrega, aumentando a receita dos grupos empresariais. Em cada uma são milhares que entram na tesouraria.

sábado, 10 de novembro de 2012

A idiotice política da redução de freguesias

Se os deputados do PSD e do CDS estivessem a representar os seus eleitores e não a abanar a cabeça à direcção dos seus partidos, a lei que prevê a redução de freguesias em Portugal não passaria na Assembleia da República, uma vez que foi recusada pelos órgãos autárquicos de Norte a Sul.

Não há nada a esperar do Presidente da República

Os militares exortaram o Presidente da República a pedir a fiscalização preventiva do Orçamento de Estado pelo Tribunal Constitucional. Se Cavaco Silva cumprisse efectivamente o seu papel de Presidente faria isso, ainda mais depois da decisão insólita sobre o OE de 2012. Não o fará, porque é o maior guardião desta política.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A austeridade pode ser um problema, diz o FMI

O Santiago aborda o tema das derivações dos técnicos do FMI e europeus entre a necessidade de austeridade e os efeitos sociais e económicos dramáticos das medidas concretizadas no pressuposto da resolução do problema. A mim recorda-me a estória do sujeito que olhava para dois cavalos, um branco e outro preto, ao que lhe chegou um desconhecimento por perto e disse, bonitos cavalos, ao que perguntou, de quem é o branco? O homem, encostado à vedação, respondeu sem grande vontade, é meu. E o preto? interrogou o outro. Também. A austeridade e os perigos dela são uma e a mesma coisa.

O futuro segundo Jonet

É óbvio que há uma cartilha ideológica nas políticas internacionais que definem as medidas de austeridade em cada país, muito longe do interesse em contribuir para que cada um de nós usufrua do direito a vida com dignidade.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Deputados «pedem» a Gaspar

A notícia refere que deputados do PSD e do CDS pedem a Gaspar para alterar a forma de cobrar a sobretaxa do IRS de 4%, nos privados, de uma só vez. A forma como é escrito é a completa inversão dos papéis e a afirmação da inutilidade dos deputados, pelos menos daqueles dois partidos. É que a responsabilidade final de alteração e aprovação do Orçamento de Estado é da Assembleia da República. Palhaços.

Barcelona em dificuldades

Numa só jornada da Liga dos Campeões, as contas complicaram-se para o Barcelona que está dependente do resultado que irá fazer na próxima jornada na Rússia. Se perder ou empatar ...

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Merkel não é bem vinda a Portugal

A propósito da visita de Merkel a Portugal na próxima segunda-feira aqui fica a carta aberta que lhe está a ser dirigida.

A crise chegou à Alemanha

Mario Draghi, presidente do BCE, diz que a crise chegou à Alemanha, logo são de esperar algumas inversões nas políticas e nos discursos da União Europeia. Talvez dentro em pouco se comece a falar da necessidade de apostar no crescimento. Na verdade, as taxas médias de crescimento da maioria dos países da Europa há muito que são sinais de crise instalada e não só agora com a didatura dos défics por desmandos do sector financeiro. 

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Ainda o BPN

Foi com a decisão do governo socialista, apadrinhada pelo PSD e CDS, de nacionaliiação do BPN que começou a crise portuguesa. E continua. E que eles tentam esconder esta responsbailidade dizendo que andámos a gastar acima das nossas possiblidades. Com esta operação o défice português, é só consultar o relatório do Orçamento de estado de 2013, passou de 3,6 para 10,2 do PIB.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

André Almeida a seis do Benfica

Se é assim, como é que se percebe que não tenha sido utilizado nessa posição contra o Guimarães?

A tróika está a estudar a redução da despesa pública ...

... mas quando leio e oiço os nossos (salvo seja) ministros fico descansado, o trabalho dos técnicos estrangeiros deve ser avaliar as medidas que permitam reduzir o consumo de papel higiénico. Nada mais.

domingo, 4 de novembro de 2012

Furacão Sandy devasta norte-americanos

Mais de uma semana passada, os norte-americanos, ou parte deles, debatem-se com os problemas criados pela passagem do furacão Sandy, com maior destaque para a cidade de Nova Iorque, com milhões de pessoas sem combustíveis e electricidade, à mercê do frio. Esta situação vem demonstrar a vulnerabilidade, mesmo nos mais apetrechados, dos países perante os desafios da natureza.

Domingo


Malmequer e Amália Rodrigues


margarida-bem-me-quer.JPG.jpg

O dia está chuvoso, apela a estar em casa, o Outono está profundo, e lembrei-me do malmequer e do que dele disse Amália Rodrigues: só os portugueses, com o seu sentido trágico, poderia dar semelhante nome a uma flor tão bonita. E a Primavera vem tão longe.

sábado, 3 de novembro de 2012

Cavaco promulga reforma administrativa de Lisboa

Claro que o Presidente da República vai promulgar tudo o que lhe chega ao Palácio de Belém, como se verá sobre o Orçamento de Estado para 2013. Ele é o presidente da tróika e não dos portugueses.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A prioridade das notícias na televisão pública

Há alguma razão para que as eleições para o PSD/Madeira seja tema de abertura do Telejornal da RTP 1 e ocupe quase dez minutos com um directo em que o jornalista nada diz? Há, com toda a certeza, serve para nos distrair do momento político em Portugal.

Eugénio de Andrade para um Outono que se afirma

Somos como árvores
só quando o desejo é morto.
Só então nos lembramos
que dezembro traz em si a primavera.
Só então, belos e despidos, 
ficamos longamente à sua espera.

As mãos e os frutos, Campo das Letras


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A festa dos mortos

Celebra-se por estes dias a festa dos mortos, momento em que prestamos homenagem aos que nos deixaram fisicamente, ocupando a nossa memória. Desde muito novo que convivi com a morte (o primeiro funeral que me lembro foi celebrado em casa e de um familiar que tinha a grande capacidade de me ouvir e contar histórias) e tem sido um tema ao qual tenho reservado alguma atenção e interesse. No Verão deste ano escolhi como uma das leituras de férias o livro de Maria Filomena Mónica, A Morte (obra que não adianta muito sobre o tema), mas não estava preparado para uma expressão que ouvi outro dia no meio de uma conversa sobre antepassados: "nunca vi cadáver mais bonito".

terça-feira, 30 de outubro de 2012

A democracia também se faz na rua


O Governo comunica muito e bem

Tem sido difundida a ideia de que a comunicação do governo é má e a destempo. Nada mais falso. O governo sabe comunicar e bem, e sabe muito bem a ideia que quer fazer passar para a opinião pública e para os portugueses. Foi assim com a TSU e o aparente recuo, do qual resultou uma maior penalização para todos, com a redução de 10% do subsídio de desemprego, e é agora com a inevitabilidade de um segundo resgate, Passos, Portas e Gaspar sabem perfeitamente que, seguindo esta política, é inevitável um segundo resgate. Razão pela qual voltaram agora a atenção para a necessidade de revisão da Constituição sabendo que o PS não terá condições políticas (vontade tem) para se associar aos partidos do governo nesse propósito. Como não se consegue esse objectivo, é impossível fugir a um segundo resgate. Esta é a comunicação. O resto é conversa

Passos quer alterar a Constituição

Fica evidente que Jerónimo de Sousa tinha razão quando chamou um eufemismo ao termo utilizado por Passos Coelho nas jornadas parlamentares do governo: refundação. O truque linguístico não durou um dia. O seu projecto ideológico é rever a Constituição e liberalizar o Estado. Enquanto na Grècia e na Irlanda pedem a alteração das condições do empréstimo, em Portugal opta-se por carregar nos portugueses com uma receita que levará, inevitavelmente, a um segundo resgate. Espera-se pela participação «violenta» do PS e de António José Seguro neste processo «a bem do interesse de Portugal».

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Um socialista orgulhosamente só ...

... ao lado do governo.

Ninguém compreende o Gaspar

Portugal vai a caminho da Grécia, não é a deriva da Jangada de Pedra que José Saramago fez livro, é mesmo as degradação das condições económicas e sociais que o Orçamento de Estado para 2013 transporta, como é referido pelo Conselho Económico e Social.

Chegaram as noites longas

Chegaram as noites longas de Inverno. De agora até Janeiro, em que os dias começam a abrir, passamos mais tempo no escuro. Arrelia é o governo acrescentar ainda mais escuridão ao andar do calendário. Nem as tradicionais festividades que se aproximam, com destaque para o Natal, ajudarão a melhorar o ambiente. 

domingo, 28 de outubro de 2012

sábado, 27 de outubro de 2012

Diz-me com quem andas ...

Paula Teixeira da Cruz diz sem qualquer pudor que os governantes têm que ser exemplares e participa num governo com um cidadão Relvas que obteve de forma ilegítima uma licenciatura. Viva a coerência.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Governo cercado de seguranças

Aqui há uns anos esperava num estacionamento subterrâneo de um centro comercial lisboeta pelo elevador quando ao meu lado chega Rui Pereira, nada mais que o ministro da administração interna do governo socialista da altura. Ali estava aquele homem, com altas responsabilidades em matérias tão sensíveis como as da polícia e da segurança, sozinho, num espaço público de escassa possibilidade de fuga. Pensei para mim que estaria de consciência tranquila e sem receio das suas funções públicas. Vem isto a propósito da elevada segurança de que dispõem os actuais membros do governo (nunca mais se ouviu dizer de Passos Coelho a beber um café e a falar com as vizinhas em Massamá e Vítor Gaspar não deve andar na rua), chegando ao exagero de nos corredores da Assembleia da República estarem rodeados de vários elementos da polícia. Sinais da democracia dos dias de hoje.

Bom dia


Óscar Wilde, a Natureza e a Arte


A Natureza tem decerto boas intenções, mas, como disse uma vez Aristóteles, não consegue realizá-las. Quando contemplo uma paisagem, não posso impedir-me de ver todos os seus defeitos. Para nós, é uma sorte que a Natureza seja tão imperfeita; de outro modo, não teríamos arte de nenhuma espécie. A Arte é o nosso protesto espiritual, a nossa ousada tentativa de ensinar à Natureza qual o lugar que lhe cabe. Pelo que diz respeito à infinita variedade da Natureza, trata-se de um puro mito. É algo que não tem origem na própria Natureza, e antes se determina na imaginação, ou fantasia, ou culta cegueira do homem que a contempla.

Se a Natureza fosse confortável, a arquitectura nunca teria sido inventada, e eu prefiro mais as casas do que o ar livre.
 

Óscar Wilde, O declínio da mentira

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Quando a diversidade acrescenta à cópia

A Câmara de Mértola tem toda a legitimidade para direccionar a sua feira da caça para onde bem entender, no entanto deve considerar que desde o ano passado em Moura começou a organizar-se o salão da caça, pesca e biodiversidade. O Alentejo nada tem a ganhar com a imitação que, diga-se, também funciona em sentido contrário.

domingo, 21 de outubro de 2012

Jorge Luís Borges e António Pina

"Sou todos os livros que li, todas as pessoas que conheci, todos os lugares que visitei, todas as pessoas que amei." , Jorge Luís Borges, citado por Manuel António Pina, numa entrevista a Anabela Mota Ribeiro, no Público que pode ler na íntegra aqui.

Passos ajudante

A forma como Vítor Dias coloca a questão é absolutamente pertinente pela forma como o governo não representa os portugueses.

sábado, 20 de outubro de 2012

Portas demagógico

Paulo Portas já fez demagogia de forma inteligente.

Van Zeller demite-se

Sempre gostei de um bom discurso fascista.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Ana Moura - Fado da Procura

Manuel António Pina

Acompanhava com regularidade e com elevada satisfação as crónicas de Manuel António Pina aqui no Jornal de Notícias. Li entrevistas suas, alguns dos seus textos literários e fiquei com a certeza de que a partir de hoje Portugal ficou mais pobre com a sua morte.

Agora que já não comia, morreu

Quando ouço determinados comentários, particularmente de pessoas ligadas ao PSD, CDS e PS, os três responsáveis pela situação que vivemos, não posso de sentir alguma repulsa pelo que não fizeram antes para evitar tamanha desgraça. Quando ouço Manuela Ferreira Leite dizer que o esforço é infrutífero porque nos conduzirá à morte, não posso deixar de pensar no meu conterrâneo que tentava poupar nos gastos com o burro, reduzindo gradualmente a alimentação em simultâneo com o aumento do trabalho. Meses passados exclamou: "agora que já não comia é que resolveu morrer". Nós estamos a caminhar para lá.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Thomas Wieser diz que é um muito bom orçamento

Por mim ofereço-lho de bom gosto e sem pestanejar.

Porque será que se lê e não se acredita?

O governo está paz e se está tudo bem porque razão estão todos os dias a falar disso?

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Um pesado silêncio

Há muito que não ouço falar de aviões a descolar e a aterrar no aeroporto de Beja. 

Um Clio para 20 pessoas

Um exemplo à consideração do grupo parlamentar do PS, principalmente Carlos Zorrinho e Francisco Assis.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Grândola, Vila Morena

Aí está mais uma ideia a juntar à luta contra a tróika e esta política, gritar bem alto quando Portugal estiver a jogar.

Jorge Palma - Deixa-me rir


Porque, passados sete anos, houve memórias e partilhas por um amigo trazidas num grande e forte abraço. Há momentos assim. 


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Presidente da República

Alguém espera uma iniciativa do Presidente da República coerente com as palavras que profere on-line e em certas conferências? Deverá invocar o superior interesse nacional, seja lá isso o que for.

Como vem desgraça


domingo, 14 de outubro de 2012

Jogos tradicionais da família

Numa demonstração clara do leque de actividades das freguesias, a Ludoteca de Grândola, serviço da Junta de Freguesia, organizou os Jogos Tradicionais da Família, espaço para o convívio entre gerações e de recriação de actividades lúdicas tradicionais. A iniciativa teve a participação de um número significativo da comunidade brasileira na vila morena e, como não podia deixar de ser, terminou com uma feijoada típica daquele país.


A democracia está na rua

Ao contrário do que diz, recesoso, o Cardeal de Lisboa a democracia está na rua, nos imensos protestos contra uma política nefasta para o País.

sábado, 13 de outubro de 2012

Canção de Pierre Ronsard

Quem quer que seja esse pintor que fez
do Amor ave e lhe fingiu asinhas,
só tinha retratado alguma vez,
segundo creio, apenas andorinhas.

Julgou talvez, quadros seus pintando,
e quando à obra a mão já se lhe apresta,
homens e deuses pássaros voando, 
tão leves como os tinha em sua festa.

O amor que a meu ser livre é servidão
ave não é, constante tem masmorra:
tem chumbo a segurá-lo ao coração
e firme ficará até que eu morra.

Não tem plumas, não tem o dorso alado.
Pintá-lo assim, que o faça eu é mister,
que a ser pronto, de mim tinha voado
há cinco anos a um lugar qualquer.

Alguns Amores de Pierre Ronsard, em obra de Vasco Graça Moura

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Pesado silêncio

Não há um pesado silêncio na comunicação social e na justiça sobre alguns casos de pesos pesados, como seja Casa Pia, BPN, BPP? A justiça portuguesa agora está melhor, mergulhada num profundo silêncio. E a ministra da Justiça só diz isto.

Do bolso dos portugueses para a banca

A confirmar-se as indicações que a imprensa hoje adiantou sobre as condicionantes que o próximo orçamento de Estado para 2013 reserva para as autarquias o cenário será difícil. Contudo, há um aspecto que merece referência, porque significa retirar dinheiro aos portugueses para o entregar, mais uma vez, directamente à banca. Diz a imprensa que o aumento de verba que as autarquias receberem através do IMI, por força da avaliação dos imóveis promovida este ano, terá que ser utilizado na redução da dívida de médio e longo prazo. Logo, as Câmaras ficam com o ónus de receberem mais dinheiro quando o governo as obrigam a ser meros canais para os cofres dos bancos. Mas ao mesmo tempo podem pedir mais empréstimos. A diferença é que estes serão a uma taxa superior aquela que dispõem nos empréstimos que o governo quer que elas paguem. De uma acentada, a banca fica a ganhar nos dois tabuleiros. Mais uma sinal de equidade. Esperam-se os comentários da direcção da ANMP, particularmente daqueles que fugiram do último Congresso.   

Na rua só as católicas

O Cardeal de Lisboa diz que manifestações na rua só as católicas. 

A capacidade criativa dos portugueses

Santo Aleixo da Restauração, Moura

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Moura protesta contra a extinção de freguesias

As autarquias vão, a partir das 18 horas, protestar contra a absurda lei de extinção de freguesias, terminando com a realização de uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal em Santo Amador.

Pérolas do urbanismo português


terça-feira, 9 de outubro de 2012

Parlamento francês aprova tratado orçamental europeu

François Hollande está satisfeito, prometeu uma coisa na campanha e faz o contrário depois de eleito. Obrigou o seu PSF a aprovar o Tratado Orçamental Europeu que herdou de Sarkozy depois de fundamentar a sua campanha nas críticas ao respectivo tratado. É assim com os socialistas há muitos anos. Cá e lá.

O perigo da paragem dos IP 2 e 8

As obras de remodelação do IP 2, entre Évora e Castro Verde, lançou a esperança de um melhoramento significativo daquela via estruturante de todo o interior do País. Agora pararam e as chamadas obras de arte ficaram no ar, sem qualquer ligação, mantendo-se toda a sinaléctica de obras que não existem. Se apresentava deficiências, agora é um autêntico perigo. O aproximar do Inverno, com menor luz e chuva, é de temer o pior, porque os sinais de alerta tenderão a desaparecer por falta de manutenção. O mesmo acontece nas paradas obras do IP 8, entre Sines e Beja.


Três passos em frente ...

... para garantir a aprovação dos dois passos definidos como objectivo, a dar uma ar de negociação, é claramente a estratégia definida pelo Governo para as medidas de austeridade.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Relvas explica OE para 2013

Deve fazer parte dos trabalhos para atingir o doutoramento.

Remodelação não chega

Os comentadores do sistema querem a tudo o custo uma remodelação governamental para encanar a perna à rã, como se diz popularmente. Os últimos tempos só vieram confirmar que esta política do memorando, seja pela mão do actual governo ou do PS, não serve o País.

Governo não é pessoa de bem

Passos sabe para onde vai e nós também se ele continuar por muito mais tempo no Governo que, com ele e Portas, não pode ser considerado uma pessoa de bem.

domingo, 7 de outubro de 2012

"Camarada" António

Os objectivos não serão os mesmos, até eventualmente opostos, mas não deixa de ser elucidativo que os argumentos se aproximem dos motivos invocados pela CGTP para a convocação de uma greve geral.

sábado, 6 de outubro de 2012

Seguro desvia as atenções do País

Num momento de grave crise e de contestação ao memorando do chamado ajustamento de Portugal percebe-se perfeitamente a proposta de António José Seguro para a reforma do sistema político, onde se destaca a «simpática» redução de deputados, de forma a desviar as atenções das suas abstenções, das suas responsabilidades nos resultados das políticas actuais e da falta de propostas alternativas para o País. Para Portugal há outras questões mais urgentes, designadamente correr com este governo e impedir que os partidos da tróika (PS, PSD e CDS) possam decidir sobre o nosso futuro.

Joaquin Sabina, música para o fim-de-semana

Ainda as comemorações do 5 de Outubro

Se há coisas em que aumentou o investimento foi na segurança dos membros do Governo e do Presidente da República. Como se pode ver na fotografia, são precisos quatro polícias para segurar uma pobre reformada que diz estar a passar fome. Está triste este País.

O Congresso dos crentes

O Congresso dos que ainda acreditam que o PS pode praticar uma política de esquerda tiveram uma resposta imediata de António José Seguro no seu discurso republicano em Alenquer. Nada de novo pelas bandas socialistas, a não ser para quem acredita em milagres. Sobre este último assunto, fica aqui o comentário de Vítor Dias.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Ary dos Santos em Grândola

Nestes tempos em que Abril e o País desaparecem a cada dia que passa, é sempre revigorante ouvir as palavras do poeta Ary dos Santos, como aconteceu ontem à noite, no Cine-teatro Grandolense, no espectáculo comemorativo do Dia Mundial da Música, organizado pela Junta de Freguesia de Grândola. A sala encheu para ouvir e ver "Dizendo e cantando Ary dos Santos" pela companhia Umbigo.
Para complementar deixo aqui o "Fado do operário leal" que foi cantado por Fernando Tordo:

Um operário leal nunca é levado
pelas falinhas mansas dos burgueses
por nós termos calado no passado
é que fomos enganados
e à má fila tantas tantas vezes.

Não basta que se fale em socialismo
um punho sem martelo não é punho
e um braço sem s foice é sinapismo
que não modifica o cunho
da medalha sinistra do fascismo.

E lá vem a malta toda para a rua
dizer unicidade sindical
à voz de todos juntas a tua
para bem de Portugal
lutamos todos contra o capital.

Um operário leal nunca é levado
com falas de caixeiros-viajantes
nem se deixa levar por um pedante
que o quiser fazer banana
um operário leal nunca se engana.

E chega para nós a Primavera
dos cravos fica a lembrança
a luta está aqui à nossa espera
entre o beco da quimera
e a rua projectada ali à esperança.

Um camponês também sabe o que quer
e tem amor à terra que é a sua
tanto lhe faz ser homem ou mulher
é com ela que ele quer
dormir o ano inteiro à luz da lua.

E chegam as bigornas e os arados
as prensas os martelos e as charruas
depois de cantarem tantos fados
eis o fado trabalhado
que um operário leal canta nas ruas.


5 de Outubro em espaço fechado

Que Cavaco Silva é um cagaloso e foge ao contacto popular já todos sabíamos, razão porque as comemorações do 5 de Outubro foram em espaço fechado. O que não percebo é porque todos os outros que estiveram presentes na cerimónia não se recusaram a participar nela. É neste momentos que se deve ver de que lado da barricada estamos.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Poço em ferradura

Herdade da Coitadinha, Barrancos

Portugal mais pobre

A questão é mesmo ideológica, o objectivo do PSD e do CDS, com a abstenção do PS, é mesmo tornar Portugal mais pobre. A solução não passa por eles.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Amado diz que Estado não precisa de banco

Nem de banco nem de nada que possa dar lucro.

Gaspar anuncia mais austeridade

Diziam que amanhã havia céu limpo para Portugal, houve alguma mudança das correntes.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Barcelona é prioridade para Moutinho

Para mim também e só não estou lá porque eles não querem.

No Dia Mundial da Música

Comemorar o dia com recurso ao mourense e benfiquista Luís Piçarra.


domingo, 30 de setembro de 2012

E o PS estará seguro?

António José Seguro e o PS não podem olhar para a manifestação de ontem da CGTP e a outra do 15 de Setembro como se fossem uma resposta ao aumento da TSU para os trabalhadores, com olhar de rapaz deslumbrado de que está quase a chegar a minha vez e quando isso acontecer eles vão acalmar, apesar da política ser a mesma. A contestação à política dos últimos 30 anos está na rua e o PS tem uma forte responsabilidade nela, tal como no memorando que nos atormenta a vida. Pensem nisso.