terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Bom ano


A Passagem de um ano

Erros nossos não são de toda a gente
Tropeçamos às vezes na entrega
Mas retomamos sempre a marcha em frente
Massa humana que nada desagrega.

Para nós o passado e o presente
São futuro no qual o povo pega
Com suas mãos de luz incandescente
Que aquece que deslumbra mas não cega.

Para nós não há tempo. O tempo é vento
Soprando ano após ano sobre a história
Que para nós é vida e não memória.

Por isso é que no tempo em movimento
Cada ano que passa é meu tempo
Para chegar ao tempo da vitória.

José Carlos Ary dos Santos
Repescado de uma mensagem do Manuel Candeias 

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Retratos urbanos


O tempo está a voltar para trás ...

... com a política do memorando assinado com a tróika e, por mera intenção de cumprir prazos estúpidos e continuar a pagar juros agiotas, aumentada em consequências pelo actual governo. Não está muito longe do tempo em que as grandes companhias estendiam a caridade para ajudar os pobres. Vamos lá, ainda não neste momento em que estão a encher a barriga com lucros mas não tarda muito. O final do século XIX e quase todo o XX ( com excepção do período após 1974) foram disso exemplo. E estamos a chegar.


domingo, 29 de dezembro de 2013

Acordai

Acordai!
Acordai, homens que dormis
A embalar a dor
Dos silêncios vis!
Vinde, no clamor
Das almas viris,
Arrancar a flor
Que dorme na raíz!

Acordai!
Acordai, raios e tufões
Que dormis no ar
E nas multidões!
Vinde incendiar
De astros e canções
As pedras e o mar,
O mundo e os corações...

Acordai!
Acendei, de almas e de sóis,
Este mar sem cais,
Nem luz de faróis!
E acordai, depois
Das lutas finais,
Os nossos heróis
Que dormem nos covais.

ACORDAI!

José Gomes Ferreira

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

De volta a Vinicius e à amizade

"A poesia, por si só, não lhe teria permitido essa experiência de parceria que ele adorava, que o motivava. As letras de canções eram, para ele, a poesia do encontro, da celebração, do amor. Do amor, sim, porque Vinicius de Moraes amava desenfreadamente os seus amigos ... e todos os que com ele compuseram pertenciam a essa roda brilhante de gente que, antes de pensar em direitos de autor ou em sucesso, pensava na alegria de fazer coisas belas.
Vinicius ensinou-me com as suas letras e com a forma de escrever as suas letras que o nosso maior herdeiro não são os nossos filhos, é o mundo. E o mundo só quer saber da beleza. Foi isso que Vinicus fez: semeou beleza. Fez-nos a todos herdeiros da sua beleza e convida-nos ainda hoje a trocarmos a indústria, o mercado, o sucesso pelo prazer de nos sentarmos à mesa com amigos talentosos e fazermos as canções mais belas que o nosso coração permitir."

Tiago Torres da Silva no JL

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

A amizade é o que fica depois de tudo


Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Vinicius de Moares

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Pai Natal "invade" Grândola

A Ludoteca da Junta de Freguesia de Grândola organizou um desfile de Pai Natal que percorreu as ruas do centro da vila, contando com a colaboração da Música Velha que aproveitou a ocasião para que alguns alunos saíssem à rua pela primeira vez.




Retratos urbanos


domingo, 22 de dezembro de 2013

Boas festas

Com a devida vénia ao pessoal do Che Bar

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Saem do governo depois do trabalho feito

Os membros deste Governo saem depois de terem concluído a agenda com que se comprometeram e deixaram o País mais pobre.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Moura, reabilitação urbana

Moura, Parcerias para a regeneração urbana, edição da Câmara Municipal de Moura, apresenta o conjunto de intervenções realizadas nos últimos anos no concelho, um exemplo claro da aposta na reabilitação dos espaços e edifícios públicos. O grafismo é bom e  fotografia de capa excelente.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Concertos de Natal em Grândola

 Começaram ontem, e bem, os concertos de natal em Grândola, organizados pela paróquia, num conjunto que abriu na Igreja Matriz e vai percorrer a maioria das localidades do concelho, terminando nos dias de Reis novamente na vila. A banda da Música Velha, o coro da paróquia e a solista Júlia Coelho, tudo artistas locais, apresentaram um concerto de qualidade, num templo que encheu por completo.




Pode sempre ser necessário


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A homenagem a Nelson Mandela

Não é extraordinário o coro de elogios, incluindo o homem que ocupa indevidamente o Palácio de Belém, de todos aqueles que patrocinam politicamente o que Nelson Mandela precisamente combateu ao longo da sua vida?

sábado, 7 de dezembro de 2013

Vozes de África para África

O PS prefere sempre a direita

As declarações de Carlos César são a revelação para quem acreditar que o PS no governo seguirá uma política de esquerda.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Nelson Mandela

Na morte de uma das referências da humanidade, lembrar uma outra vítima do regime sul africando, Steve Biko.




quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Deputados do PSD e CDS agacham-se perante Jardim

A isto, manter uma excepção para a Madeira, chamo eu equidade de tratamento entre os portugueses. É claro o peso de quatro deputados eleitos pelo PSD pelo Círculo da Madeira. É preciso ter vergonha.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Imagens dos tempos de agora


Andar, abraçar

Exposição da fotógrafa Helena Almeida no espaço BES Arte & Finança, em Lisboa.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

O capitalismo paga a James Glassman...

... para ele dizer isto e muito mais, de forma convicta. Claro que o capitalismo já percebeu o alcance das palavras do Papa que acordou da letargia a Igreja Católica perante a miséria que aumenta no chamado «mundo desenvolvido».

Crato em marcha atrás

Esta é só uma prova de que Nuno Crato não sabe ao que anda e a política educativa em Portugal padece há anos de uma sequência que lhe permita garantir resultados, em vez de estar dependente de mudanças de ministros. Aqui justificava-se um acordo de regime alargado.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Autarquias de Grândola preocupadas com o encerramento de serviços públicos

As autarquias do concelho de Grândola estão preocupadas com a degradação dos serviços públicos, desde a saúde até à recente possibilidade de encerramento da repartição de finanças, estando a decorrer uma petição que pode encontrar aqui. Na sessão ordinária da Assembleia Municipal, realizada no dia 28 de Novembro, o assunto foi discutido e foi constituída uma comissão para acompanhar esta matéria fundamental para a população em conjunto com a Câmara e as Juntas de Freguesia.

Exactamente


Gosto de esplanadas de outono



Antes de Passos, Portas e Cavaco ...

... o dia 1 de Dezembro, mesmo ao domingo, era feriado.

sábado, 30 de novembro de 2013

Não precisamos de ir a Viana ...

... para percebermos mais um negócio desastroso para todos nós e para o País. E que alguém está a ganhar dinheiro com isto. De qualquer das formas, se este é o valor que temos de pagar com os Estaleiros de Viana do Castelo, o que nos tiram do bolso para pagar o BPN, mais de 7 mil milhões de euros, é diário e está a custar mais que uma geração no futuro de Portugal.

Guns N' Roses - November Rain

Arsenal na liderança

A equipa da Premier League que mais aprecio está a dar cartas este ano

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Área de actividades económicas em Cuba

Sei que o presidente João Português recebeu este presente da gestão socialista, mas uma vez que não existe nenhuma empresa instalada que tal, pelo menos, reduzir o consumo de energia.

Bom fim de semana


Presépio na Póvoa de S. Miguel

Aproximamo-nos do Natal e começam a aparecer as boas ideias para o celebrar, como é o caso dos funcionários da Junta de Freguesia de Póvoa de S. Miguel, no concelho de Moura.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Esta economia mata, diz o Papa

A Igreja Católica começa a verificar os danos da política actual.

Retratos urbanos


Os nomes da maioria

A maioria no parlamento aprovou o Orçamento de Estado para 2014. Como ambos os partidos defendem a aproximação do eleito ao eleitor, aqui e aqui ficam os nomes de quem aprovou a proposta do Governo para quando começar a sentir os efeitos no bolso e vir passar um seu vizinho deputado ou em próximas eleições saber em quem está a votar para não se sentir enganado. No Círculo de Beja importa fixar o nome de Mário Simões, Pedro Lynce, em Évora, Cristovão Crespo, em Portalegre, Pedro do Ó Ramos, Bruno Vitorino, Mercês Borges, Paulo Simões Ribeiro e Nuno Matias, em Setúbal, eleitos pelo PSD. Nuno Magalhães e João Viegas, Setúbal, pelo CDS. Para que as malfeitorias não fiquem anónimas.

CGTP leva milhares a S. Bento

Mais um grande protesto contra a política deste governo e do presidente do PSD/CDS.


domingo, 24 de novembro de 2013

Pacheco Pereira na Aula Magna

Pacheco Pereira foi ao chamado encontro das esquerdas e fez uma intervenção que merece ser lida.

Retratos urbanos


ANMP elege órgãos ...

... e aprova linhas de orientação para os próximos quatro anos, documentos e lista de órgãos trabalhadas antecipamente como tem sido norma, o que tornou a sessão plenária num conjunto de evidências. Resultou a afirmação da defesa do Poder Local Democrático, as criticas à legislação produzida pelos sucessivos governos que reduzem a constitucional autonomia. Após quase 30 anos, a associação deu um sinal de maturidade e quando chegou o ministro Maduro a sala ficou vazia, porque ninguém tem paciência para ouvir a mensagem deste governo que não respeita ao autarcas. Um só exemplo: não é uma utilização abusiva dos recursos públicos quando se concede uma majoração às freguesias, em sede de união, que se manifestaram favoravelmente à proposta governamental? Será bom pensar nisto.

Nota: O Santiago referiu o que eu esqueci, pelo que manifesto aqui o orgulho do José Maria presidir ao Conselho Fiscal da ANMP.

A violência de que falava Mário Soares?

Seria do surgimento deste tipo de violência de que falava Mário Soares?

Olha o meu, diz Cavaco

O homem que ocupa a presidência da República devia fazer uma declaração de princípios enquanto bastante prejudicado com a convergência de pensões. Sendo a medida inconstitucional deveria demitir o governo e a Assembleia da República onde os carneiros que constituem os grupos parlamentares do PSD e do CDS aprovam tudo o que o Executivo exporta para o parlamento.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Protestos contra o governo

A esta hora, Passos Coelho e principalmente Cavaco Silva (este que é um medroso compulsivo) devem estar a rever os protocolos de segurança e a olharem para a sua guarda pessoal para ver o nível de confiança quando saírem à rua. Talvez estejam a pensar em contratar o Nuno Rogeiro.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Os Afluentes do Silêncio

A Assírio & Alvim reedita Eugénio de Andrade, poeta que me marcou e que o título de um seu livro, Os Afluentes do Silêncio, deu nome a uma programa de rádio que animei há anos, tantos anos, na Rádio Planície.
 
Fragmento do Homem
 
Que tempo é o nosso? Há quem diga que é um tempo a que falta amor. Convenhamos que é, pelo menos, um tempo em que tudo o que era nobre foi degradado, convertido em mercadoria. A obsessão do lucro foi transformando o homem num objecto com preço marcado. Estrangeiro a si próprio, surdo ao apelo do sangue, asfixiando a alma por todos os meios ao seu alcance, o que vem à tona é o mais abominável dos simulacros. Toda a arte moderna nos dá conta dessa catástrofe: o desencontro do homem com o homem. A sua grandeza reside nessa denúncia; a sua dignidade, em não pactuar com a mentira; a sua coragem, em arrancar máscaras e máscaras.

E poderia ser de outro modo? Num tempo em que todo o pensamento dogmático é mais do que suspeito, em que todas as morais se esbarrondam por alheias à «sabedoria» do corpo, em que o privilégio de uns poucos é utilizado implacavelmente para transformar o indivíduo em «cadáver adiado que procria», como poderia a arte deixar de reflectir uma tal situação, se cada palavra, cada ritmo, cada cor, onde espírito e sangue ardem no mesmo fogo, estão arraigados no próprio cerne da vida?
Desamparado até à medula, afogado nas águas difíceis da sua contradição, morrendo à míngua de autenticidade - eis o homem! Eis a triste, mutilada face humana, mais nostálgica de qualquer doutrina teológica que preocupada com uma problemática moral, que não sabe como fundar e instituir, pois nenhuma fará autoridade se não tiver em conta a totalidade do ser; nenhuma, em que espírito e vida sejam concebidos como irreconciliáveis; nenhuma, enquanto reduzir o homem a um fragmento do homem. Nós aprendemos com Pascal que o erro vem da exclusão.

Eugénio de Andrade, in 'Os Afluentes do Silêncio'
 

CR 7

Nos dois jogos do play-off de apuramento para o Mundial do Brasil, Cristiano Ronaldo não demonstrou ser o melhor jogador do mundo na actualidade, provou que é um dos melhores jogadores de sempre da história do futebol.

Bom dia


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

domingo, 17 de novembro de 2013

Rentes de Carvalho entrevista Saramago

José Rentes de Carvalho recupera uma entrevista com José Saramago, a ler quando há por aí muito idiota maduro.

Hopper no Terreirinho das Peças


Rui Tavares livre ...

... mas agarradinho ao lugar de eurodeputado que conseguiu graças ao BE, funda um partido que quer estar no meio. Quando na juventude alguém, depois de se formar um grupo, ficava no meio era naturalmente alvo de gozo. Vê lá, Rui.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Fernando Pessoa para terminar o dia


V - Ténue, roçando sedas pelas horas

Ténue, roçando sedas pelas horas,
Teu vulto ciciante passa e esquece,
E dia a dia adias para prece
O rito cujo ritmo só decoras...
 
 
Um mar longínquo e próximo humedece
Teus lábios onde, mais que em ti, descoras...
E, alada, leve, sobre a dor que choras,
Sem querer saber de ti a tarde desce...
 
Erra no anteluar a voz dos tanques...
Na quinta imensa gorgolejam águas,
Na treva vaga ao meu ter dor estanques...
 
Meu império é das horas desiguais,
E dei meu gesto lasso às algas mágoas
Que há para além de sermos outonais...

A actualidade das palavras de Dostoievski

«- Estivemos ao serviço de um explorador. Éramos seis russos: estudantes, oficiais, e todos nós tínhamos o mesmo ideal. Trabalhámos a valer, suámos, sofremos, caímos de fadiga; por fim (...), sem podermos mais, adoecemos e deixámos «o patrão». Este enganou-nos nas contas. Conforme o combinado, devia dar trinta dólares a cada um de nós: pagou-me oito e quinze a Kirilov. Até nos chegaram a bater por várias vezes. Foi depois disso que ficamos quatro meses naquela aledeola, sem trabalhar; passámos todo o tempo deitados no chão, lado a lado, a ruminar na nossa vida.», in Os Demónios.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Afinal a igreja católica ...

... sempre fala da crise.

Os democratas socialistas de Braga

Verdadeiros democratas os eleitos do PS em Braga.

Aumentam as dívidas dos portugueses ...

... enquanto o governo e o homem que ocupa a presidência da República garantam estarmos no bom caminho. As dívidas de electricidade, com o muito noticiado caso do bairro do Porto, são um indicador para imaginar que estão a reunir-se as condições para voltarem os bairros de lata nas imediações das grandes cidades. Já faltou mais.

domingo, 10 de novembro de 2013

Mais uma vez sublinho a razão dos nossos problemas: BPN

A situação portuguesa actual tem uma génese e reside na nacionalização dos prejuízos do BPN para proteger uma clientela quase toda ela que gira em volta de Cavaco Silva. Os principais responsáveis: José Sócrates e Teixeira dos Santos e todos os deputados do PS, PSD e CDS que aprovaram esta decisão, convém não fugir às responsabilidades.

A dívida pública de Portugal chegou aos 131,4% do Produto Interno Bruto (PIB) no final de junho, segundo o Banco de Portugal. O Governo previa que, este ano, a dívida das administrações públicas atingisse 122,3% do PIB, mas entretanto reviu em alta esse  valor para 127,8%. Em junho de 2011, pouco depois de Portugal ter recorrido à ajuda externa, a dívida era de 106,9% do PIB, ainda assim bem acima dos 71,7% do final de 2008.

E como refere o economistas belga Paul de Grauwe, citado pelo Expresso há outras soluções.

Grândola: a morte voltou ao Isaías

No final da década de 90 do século passado, os governos de então prometiam a recuperação da estrada nacional a Norte de Grândola, na zona do Isaías, pelo perigo que representava a circulação automóvel naquela zona de concentração habitacional e de comércio. Apesar das promessas de sucessivos governos e até de executivos municipais nada avançou e, hoje, a morte voltou à estrada naquele local. É urgente uma solução,

No centenário do nascimento de Álvaro Cunhal ...

No encerrar das comemorações do centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, a afirmação da luta política e ideológica por um mundo melhor foi a verdadeira afirmação desta iniciativa do PCP que hoje encheu o Campo Pequeno numa festa/comício cuja maior protesto foi legitimamente para o ocupante da Presidência da República.




sábado, 9 de novembro de 2013

É assim que o governo poupa na despesa pública ...

... com total insensibilidade pelos mais desprotegidos e com a mentira do Mota Soares.

Benfica segue na taça

É destes jogos como o disputado esta noite pelo Benfica e Sporting que o campeonato português precisa. Os dois clubes dignificaram o futebol.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Pós-de-Mina


A igreja não fala da crise

A hierarquia da Igreja Católica em Portugal tem mantido um profundo silêncio comprometedor com todas as políticas seguidas pelo actual governo, o que não é muito estranho. Acredito que pode haver algum desconhecimento da minha parte de iniciativas que tenham sido tomadas, mas com tanta pobreza no País não tenho visto as suas posições subirem às primeiras páginas e aos destaques da comunicação social. Não será por sintonia com as políticas que geram tantos pobres. Do que ouvi e li, só o anterior Cardeal Patriarca de Lisboa a dizer que não via alternativa, quanto ao actual nada descortinei. Será mesmo assim ou falta de atenção minha?

A greve que o Governo não queria

Mesmo com os naturais impactos no orçamento de cada um, a greve da função pública foi mais uma demonstração clara do repúdio da política deste governo.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Benfica perde na Grécia

A chamada nota artística é utilizada na patinagem não no futebol. Jorge Jesus tem este ano uma vantagem: está a acabar com a esperança dos benfiquistas mais cedo.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

A noite que nos consome

Corta o tempo ao dia e aumenta as horas à longa noite. Ansiamos por Janeiro e pela luz.
 
 

Asno, Crato?

A ideia formulada por Nuno Crato (não me parece que mereça o título de ministro da educação, é mais uma comissão liquidatária do serviço público) recorda-me o episódio do outro que retirou a comida ao burro para poupar e quando ao fim de algum tempo o animal morreu exclamou indignado: agora que já não comias é que morreste.

O aumento dos salários

Para memória futura, é bom recordar que o memorando de entendimento, negociado pelo governo do PS, mereceu a concordância e a aprovação do PSD e do CDS no Parlamento, onde estava sentado Mota Soares.

Retratos Urbanos


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O desemprego desceu em Portugal ...

... e o emprego também, logo o tão elogiado crescimento da economia não está a criar emprego, antes pelo contrário. Conclusão: os portugueses desempregados saíram do País ou dos registos oficiais.

Leitura recomendada


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A sério?

Apesar de todos os apoios com o dinheiro de todos nós, os bancos continuam com dificuldades e a quere que o governo lhes faça todas as vontades, até o «amigo» alemão.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Nada como a repetição ...

... tal como o governo insiste em anunciar o princípio de qualquer coisa que nós ainda não percebemos que está a chegar. A prática tem sido levar o pessoal até ao limiar da capacidade para agora a coisa começar a melhorar, esquecendo tudo o que se perdeu para trás.

Banco alemão «ajuda» Portugal

Iremos mais tarde saber quanto custa esta ajuda?

Centro Comunitário do Carvalhal

A primeira pedra do Centro Comunitário do Carvalhal foi lançada no passado sábado, equipamento que representa cerca de 600 mil euros de investimento com a valência de centro de dia, ficando para depois a de creche. Fruto da vontade de instituições e, principalmente de pessoas, a população ficará com melhores condições de um serviço que actualmente já tem qualidade. Faltava mesmo era instalações adequadas. Muitos parabéns.

Quotidianos


domingo, 27 de outubro de 2013

Lou Reed

Álvaro Cunhal

Porque há coisas de que a comunicação social, na sua generalidade, não fala e importa divulgar por outros meios e para afirmar que há alternativas.

sábado, 26 de outubro de 2013

Ao fundo vamos nós

O guião para a reforma do Estado, que devia estar pronto em Abril, foi tão ao fundo quanto o processo judicial em torno dos submarinos. Por alguma razão o Portas ainda lá anda.

Desesperado, o filme é melhor que a canção

Diálogos na rua

- Hoje vou ver o jogo à taberna.
- Nem sei a que horas é, diz o outro.
-Um quarto para as oito, esclarece o primeiro.
- 18 horas, é às 18 horas, afirma o segundo. 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O Calimero Passos

Não chega já desta conversa passados mais de dois anos de governação?

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Passos e Sócrates

É tudo a mesma merda.

Moedas é claro ...

... e está em sintonia com Pires de Lima e em dessintonia com Passos Coelho. Há um homem sentado na Presidência da República que chama a isto governo. Estas declarações destes membros do governo não são mais que o sinal do erro da estratégia de austeridade.

40 horas suspensas

São boas notícias para a luta contra as políticas do governo com o apoio de um homem que ocupa a Presidência da República (é importante salientar, quando falamos em abstenção, que foi eleitos por menos de metade dos portugueses).

Renamo ataca posto da polícia

Naturalmente em qualquer país democrático o ataque da Renamo seria considerado um acto de terrorismo. Aliás, o facto de se admitir que um partido político tenha uma base militar é um claro exemplo da imaturidade do regime político moçambicano.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

sábado, 19 de outubro de 2013

Manuel António Pina morreu há um ano

Amor como em CasaRegresso devagar ao teu 
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que 
não é nada comigo. Distraído percorro 
o caminho familiar da saudade, 
pequeninas coisas me prendem, 
uma tarde num café, um livro. Devagar 
te amo e às vezes depressa, 
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo, 
regresso devagar a tua casa, 
compro um livro, entro no 
amor como em casa. 
Manuel António Pina

Vinicius de Moraes

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Quotidianos


Pessoa ...

e que tal ser o governo que, a mando da Comissão Europeia, está a propor medidas inconstitucionais. O que é que tu da separação de poderes e do respeito pelas instituições não percebes? Acho que Paulo Portas tem razão, Portugal, para estes putos, está num regime de protectorado.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Governo pede dinheiro aos desempregados e doentes

Não quero ser conspirativo mas tenho a certeza que os Serviços de Segurança Social esperaram que passassem as eleições autárquicas para procederem a mais este roubo para que o resultado do PSD, em particular, não fosse ainda mais desastroso. É uma vergonha.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Olli Rehn desvaloriza ...

... se fosse para dar algum apoio social estava o caldo entornado, mas como é para dar a um banco a Comissão Europeia desvaloriza o incumprimento do défice. São bons rapazes.

ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA - Canção com Lágrimas


Pires de Lima fez tudo ...

... ou como se prova que não é competente para desempenhar o cargo que ocupa. Quanto a soldado, noutros tempos lhe chamavam obedecer á voz do dono.

Grupo de provocadores

Portugal não tem um Governo, tem um grupo de agentes de provocação.

Retratos urbanos


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Assim se faz Portugal

No Teatro Luiza Todi, em Setúbal, aconteceu hoje o inexplicável. Pelas 11 horas, sessão pública, de assinatura de contratos de autonomia com 100 escolas de todo o país, no caso do concelho de Moura, a 2/3 de Amareleja. Na mesa o secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar, de seu nome João Casanova de Almeida, o Director-Geral dos Estabelecimentos Escolares, José Alberto Monteiro Duarte, e a presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira. Para gáudio dos presentes na assistência, os discursos não demoraram mais de 15 minutos, enquanto a assinatura dos contratos decorreram até ás 13,30, com cerca de 300 pessoas a olhar para os membros do governo a fazer rubricas. Um pesadelo para quem teve de percorrer centenas de quilómetros para estar ali a assistir aquele triste espectáculo. Aprendam a organizar estas cerimónias para não gastar dinheiro público sem qualquer proveito.


domingo, 13 de outubro de 2013

Trapaceiros e malabaristas

Tem toda a razão Jerónimo de Sousa este governo é sério demais para se levar a brincar nos estragos aos País.

José M. Rodrigues em Sines

No Centro de Artes em Sines, José M. Rodrigues, fotógrafo alentejano, apresenta Improvisos, já considerada exposição do ano, de visita obrigatória até ao próximo dia 29. Uma passagem por lá é fundamental, pelos trabalhos, muito para lá da fotografia, pelo edifício, projecto dos arquitectos Aires Mateus, por Sines e o cheiro a mar.

O guião de Portas

Hoje, com a divulgação das linhas do Orçamento de Estado para 2014, é que vamos ficar a conhecer o guião que Paulo Portas ficou de divulgar até ao passado mês de Abril para os cortes. Com muito teatro, drama e apelo à falta de alternativas de medidas políticas. No fundo, um conjunto completo de mentiras.

sábado, 12 de outubro de 2013

Porque daqui a pouco é domingo

Música Velha ideias novas

Aos sábados de manhã há aulas na Música Velha. Terminam e grupos de alunos deslocam-se para pequenas exibições no Mercado Municipal de Grândola. Uma forma da colectividade e a Câmara animarem um espaço no centro tradicional. Passem por lá, ouçam e comprem.


Perguntas tolas

Sendo Portugal um Estado laico porque razão existe um Bispo das Forças Armadas? Só os católicos é que vão à tropa? E as outras confissões religiosas? E os ateus?

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Ruffato em Frankfurt

O escritor Luiz Ruffato abriu a Feira do Livro de Frankfurt em nome do Brasil, país tema desta edição. O seu discurso é uma peça digna de ser lida e pensada, pelo que aqui fica.

Sequestro, de poucas horas, na Líbia

Já que a coisa acalmou para os lados da Síria, o melhor é mesmo a malta fazer um pequeno sequestro para que os preços do petróleo parem de cair que a malta está a perder muito dinheiro. E o mundo vive disto, destes interesses especulativos.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Salários mais baixos

É o sinal evidente da obtenção de resultados pela política do actual governo.

Passos e o orçamento

A forma como o primeiro ministro coloca a questão parece qualquer coisa imposta e que ele não subscreveria. Mentira. Claro, como diz Paulo Portas Portugal é um protetorado.

As agências de rating desapareceram?

Apesar da crise nos Estados Unidos da América, o chamado shutdown que está a paralisar os serviços públicos e poderá ter repercussões no pagamento da dívida nacional, as agências de rating mantém um muito estimável silêncio. Estranho, não é? A demissão irrevogável de Portas fê-las mexer de imediato.

adenda: querem apostar que as agências de rating aparecem se isto acontecer?

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Palavras de Eugénio ao fim de tarde

As palavras

 
São como um cristal,

as palavras.
 
Algumas, um punhal,

um incêndio.

Outras,

orvalho apenas.

 
Secretas vêm, cheias de memória.

Inseguras navegam:

barcos ou beijos,

as águas estremecem.
 

Desamparadas, inocentes,

leves.

Tecidas são de luz

e são a noite.

E mesmo pálidas

verdes paraísos lembram ainda.


Quem as escuta? Quem

as recolhe, assim,

cruéis, desfeitas,

nas suas conchas puras?

 

Eugénio de Andrade